Situação da Autohemoterapia no Brasil documentário (320x240)

Experimente nosso novo player
marcelofetha
10
2 378 visualizações
  • Informações
  • Exportar
  • Adicionar a
Este documentário retrata a atual situação da Auto-hemoterapia no Brasil. Órgãos de saúde no país "ainda" insistindo em desabonar a auto-hemoterapia. E a realidade é bem diferente, pois conceituados profissionais e "milhares" de testemunhos "comprovam" a inocuidade e eficácia da terapia.

http://www.rnsites.com.br/auto-hemoterapia.htm

http://www.hemoterapia.org

-

E um alerta àqueles que "ainda" não conhecem a auto-hemoterapia(AHT):

- Caso alguém lhe fale sobre riscos da AHT, pergunte se a pessoa pode lhe fornecer PROVAS, como as que você viu neste documentário, para que você confirme as "teorias" dela, com seus próprios olhos.

O sr. Mário Ramos Moreira, 76 anos, faz AHT há 56 anos: ..."Os que se fecham à pesquisa e ao estudo da AHT, revelam má vontade de se esclarecerem, e são contra por motivos óbvios."...

Só pode falar da AHT, quem faz. Outros comentários, serão apenas especulações. (Haroldo Ventura)

Auto-hemoterapia, um bem para a humanidade. (Genaura Tormin)

1 comentário

Auto-hemotherapy English compartilhou o status de Walter Medeiros. (Facebook)

Perguntas que o CFM (Conselho Federal de Medicina) nunca respondeu:

1. Por que o CFM não oferece condições para que a auto-hemoterapia seja testada com rigor, já que admite em seu Parecer que “há possibilidade de teste de algumas de suas indicações”?

2. Por que o CFM não aplica o artigo 30, inciso XIII dos seus Estatutos à auto-hemoterapia, pois está previsto que “O Conselho Federal de Medicina tem as seguintes atribuições:(...) realizar estudos, pesquisas, assessorias, debates e outros eventos, visando ao aperfeiçoamento do ensino e da prática médica”?

3. Por quê não estimula o debate do assunto entre os médicos? Se não é um método terapêutico pseudocientífico, pois pode ser testada com rigor, se há possibilidades a comprovar e existem até indícios admitidos, por quê não estimular o seu teste, o seu estudo, a sua pesquisa?

4. Se o CFM alega (Em 2007 [parou no tempo]) que não tem trabalhos em número suficiente sobre auto-hemoterapia, por quê não estimular a execução de novas experiências para comprovar ou não, deixando a porta aberta para a técnica e não sendo taxativo na sua condenação, como fazem?

5. Já que o Conselho diz que “tudo que existem (sobre auto-hemoterapia) são casos isolados narrados com dramaticidade, que pouco se prestam a provar coisa alguma perante a ciência”, por quê não transformar o que chamam de drama em universo científico?
Por marcelofetha no ano passado